.

.
Seja bem-vindo.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

REFLEXÕES SOBRE A SALA DE AULA DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

Jeanne Marie Feder Paraná – Celin - UFPR
Mariza Riva de Almeida - UFPR

Acreditamos que é preciso estabelecer um elo entre a teoria relacionada ao processo de ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras e a prática de sala de aula. Como professores de língua e metodologia que somos, buscamos na nossa experiência em sala de aula e nos trabalhos realizados com formação continuada de professores os tópicos que consideramos relevantes para que possamos obter bons resultados.Este trabalho foi primeiramente desenvolvido quando elaborávamos uma coleção de livros para professores e alunos de quinta à oitava série do Ensino Fundamental. Por força de nossa formação, os exemplos aparecem em inglês, pelo que desde já nos desculpamos, sugerindo que cada professor faça as transformações necessárias para a sua língua estrangeira alvo.

Alguns princípios têm norteado nosso trabalho:

1. É possível ensinar línguas estrangeiras na escola!Acreditamos, sim, que é possível ensinar línguas estrangeiras na escola. Fazemos tal afirmação baseando-nos não apenas em nossa experiência, mas também na de vários professores e professoras que tivemos o prazer de conhecer nestes anos todos. Invariavelmente, as experiências positivas resultaram da convicção dos professores de que os alunos querem aprender se, apesar de todas as dificuldades, o professor quer ensinar. Em todos os casos encontramos professores altamente motivados, em busca constante de reciclagem e ampliação de seus conhecimentos de língua e/ou metodologia. Sabemos que um professor interessado e preparado aumenta suas chances de sucesso em sala de aula.
Acesse AQUI o artigo na integra!
Artigo enviado por: Neide Gaspar
Equipe LEM

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

TOPO